É muito confete para pouco Carnaval


Caminhando pela avenida na hora do almoço, dei uma topada em uma pedra, putz! Como doeu! Não sabia se prestava atenção na dor que meu pé reproduziu depois da topada ou no sol escaldante do meio dia. Comei a rir no meio de tudo isso, pois comecei a caminhar um pouco meio capenga e pensei: Quanta frescura... foi só uma topada imagina se eu tivesse quebrado o pé.

Assim vamos reproduzindo em nossa vida, os vários exageros nas nossas reações com o outro. Um simples bom dia meio azedo da atendente da padaria pode ser o estopim para um dia de fúria. Estamos perdendo o controle e não é o da televisão.

Como sempre digo, para cada situação existe um “para quê” dentro dela, mas estamos correndo demais para perceber isso. Tomamos o final da frase como conclusão da história, mas esquecemos das inúmeras vírgulas que compõem um texto.

Você acorda atrasado e tudo parece que daí em diante vai agarrando, sabe por quê? Porque não aprendemos a apagar um fato isoladamente, vamos acoplando ele a outros pequenos fatos que no final se transformam um dia qualquer, em dia MEGA estressante.

Ai, você pode me dizer, mas você não conhece meu chefe ou você não sabe como são meus funcionários e ainda pra melhorar, você não sabe o covil de cobras que é meu setor. Verdade, eu não sei e pra comprovar isso eu nem te conheço. Mas como todo mineiro, a gente sabe escutar, a gente sabe entender o outro e por isso eu escrevo não para te ensinar o “bê-a-bá”, mas para te dizer: Olha, você não ta sozinho!

Tente olhar bem friamente para todo esse cenário.

O que você esta fazendo para que seu relacionamento com seu o chefe melhore e se não tem como melhorar, o que você ainda está fazendo ai? Se o problema são seus funcionários que te dão nos nervos, certo. Imagino como deve ser difícil liderar pessoas que não querem ser lideradas, mas já pensou por quê? Já tentou ouvi-los e descobrir porque eles estão desmotivados e não fazendo as coisas corretamente? Se já, e nada adiantou, do mesmo jeito que a fila anda em um relacionamento, aí também ela pode andar e você renovar sua equipe. Ah, mas o problema é mais complicado, são seus colegas de setor que são cobras, perfeito! Já pensou em se vacinar contra elas ou se tornar um encantador de serpentes? Muitas vezes na nossa vida usamos muitos confetes, para pouco carnaval.
Muitas vezes nos vitimamos das situações e as transformamos em verdadeiros enredos de escolas de samba. Que ficam martelando em nossa cabeça até o próximo carnaval. Fala sério, você não acha que isso é vida, né?

A vida no interior nos ensina a sermos mais tranquilos ao resolver as coisas, mas isso não quer dizer que sejamos bobos, apenas temos paciência para analisar todas as possibilidades à nossa volta, para quando agir sejamos justos, dando o devido valor para as coisas, as pessoas as situações.

Às vezes seu chefe só esta num período ruim da vida, até porque na verdade a situação atual não esta confortável para ninguém. Talvez seus funcionários precisem de um olhar mais motivador porque estão sobrecarregados e você não esta percebendo que tem que ter mais paciência. Lá no seu setor, será que você não esta focando demais nos seus colegas e por isso está dando espaço para as fofocas e intrigas? Foco no trabalho e deixe as cobras se debaterem.

Minha avó dizia uma coisa: “Se não quer que pise no seu pé, recolha ele.” Isso é pura verdade, normalmente as pessoas não saem procurando um pé para pisar, então, recolher nosso pezinho ajuda evitar danos, mas se mesmo assim alguém pisar solte um palavrão, isso alivia e depois siga em frente (sem mancar!).

Por isso te convido a se perguntar, será que eu não estou jogando muito confete em situações que na verdade nem mereciam tanta atenção assim? Depois deixe de ficar remoendo e se lamentando, sem nada fazer. Retome o controle da sua vida, dos seus sonhos e dos planos. Retome o foco e vai descobrir que tudo tem um para quê e que vida tem seus ciclos. Aproveite esse confete com quem realmente merece, caia na folia e seja Feliz!!!

Um grande abraço!!!



Postagens mais visitadas deste blog

MULHER MINEIRA

O sotaque das mineiras . Carlos Drummond de Andrade

Á Mineira