Amar é dizer para o outro, eu estou aqui, simplesmente porque você me faz bem!



Sentada aqui nesse banco esperando o cansaço passar, olhando esse parque tão lindo, sentindo o frescor que vem do balançar das folhas nos plátanos que enfeitam essas alamedas por tantos anos, algo me chamou a atenção: uma “menina” sentada em um banco próximo ao meu. Estava ao celular, com fone de ouvido. Sussurrava ao microfone do fone, enquanto as lágrimas rolavam sem nenhum pudor. Bisbilhoteiramente não pude deixar de prestar atenção em suas palavras tão cheias de sentimento.

Percebia que se tratava de uma conversa entre dois corações, mais do que uma menina, ali se encontrava uma história. Não conseguia entender se, tratava-se de um término de namoro ou de um amor impossível, mas notei que era doído.

Das poucas coisas que conseguia entender, uma frase ficou muito marcante, pois era um trecho de uma música, que ela cantou ao telefone:

“Mas te vejo e sinto
O brilho desse olhar
Que me acalma
E me traz força pra encarar tudo.”
Tiago Iorc – Dia Especial

As lágrimas desciam tão genuinamente, que meu coração se compadecia de tanta dor e ao mesmo tempo, saudade de me sentir assim. São poucas as pessoas que se rendem ao sentimento tão profundamente e o vive de uma forma intensa.

Aquela menina naquele banco estava vivendo talvez um amor tão profundo, tão lindo e ela não estava se importando se era possível ou impossível, pois mesmo que os dias, as escolhas estejam afastando aqueles corações, ela não teve medo de viver, mesmo que em silêncio.

Minha vontade era de levantar, abraçá-la e dizer: Viva–o com toda sua força, não tenha medo de deixar seu coração bater mais forte, não tenha medo de fazer dele um presente guardado em seu coração a sete chaves, não tenha medo de guardá-lo em sua memória e buscá-lo nos momentos mais duros. Pois a vida é feita de lembranças que são pequenos bálsamos em meio à tempestade.

Os anos vão passar, ela vai amadurecer, vai seguir seu caminho e nunca vai se esquecer daquele fim de tarde, onde ela derramou todo seu coração ao amor. Quantas vezes deixamos o nosso coração tão livre, tão disponível ao amor, mesmo que por um instante, mesmo que platonicamente, mesmo que distante.

Por tantas vezes complicamos muito o amor, e fazemos do amor algo cheio de condições, sendo que amar é se dar sem restrições e sem medidas, mesmo sem retorno. Pois na verdade, amar não é esperar, é oferecer o que temos, mesmo que o melhor seja aquela música, aquele bom dia, aquela despedida no final da noite ou aquela risada gostosa de ouvir. É descobrir elos inexplicáveis, mas que por algum motivo existem.

Amar é dizer para o outro: “eu estou aqui”, simplesmente porque você me faz bem, é deixar que a vida siga seu curso como um rio rasgando mata adentro, trazendo despretensiosamente riquezas por onde passa. Assim devíamos deixar que o amor atravessasse a nossa vida, leve e pleno. Como aquela menina se permitiu...


Um grande abraço!!


Postagens mais visitadas deste blog

Aqui em Minas, os versos são bordados e alinhavados...

MULHER MINEIRA

O sotaque das mineiras . Carlos Drummond de Andrade